Manuel Machado – Presidente da Junta de Freguesia de Alfarela de Jales

Alfarela de Jales é uma freguesia do concelho de Vila Pouca de Aguiar com 401 habitantes (Sensos 2011), situada na Serra da Falperra, que dista 12 quilómetros a sudeste da sede de concelho. Inclui no seu território os seguintes lugares: Alfarela de Jales, Cidadelha de Jales, Moreira e Reboredo.

Foi vila e sede de concelho com foral de 1220. Para além da vila, o concelho era constituído pelas freguesias de Carva, Vilares, Tresminas e Vreia de Jales. Tinha 3079 habitantes em 1801 e 4248 em 1849. Em 1853, o concelho foi extinto e dividido entre os de Vila Pouca de Aguiar e Murça.

Manuel Machado, eleito em 2013 pelo PSD, completou um ano de mandato como presidente da junta de freguesia, mas há cerca de 12 que fazia parte do anterior executivo como tesoureiro. É técnico florestal na Associação “Aguiarfloresta”, e considera que a sua função, agora, “é diferente”. “O presidente da junta é o primeiro político que está em contacto com a população. Noto que a responsabilidade é outra, mas também a autonomia. Confesso que, com o anterior executivo, havia um certo distanciamento da população em relação à junta de freguesia. Isso agora mudou”.

DSC_0813

Obras não são o mais importante

O autarca confessa que as obras são determinantes para o bem estar da comunidade, mas “isso não é o mais importante”. “Mais importante é a atenção que damos às pessoas. São pequenos gestos. Um mínimo arranjo, a colocação de umas pedras na calçada e outras obras de baixo valor fazem realmente a diferença”.

Recentemente, a autarquia atribuiu uma verba de 500 euros por freguesia, mais um veículo de todo o terreno para delegação de competência relacionada com a limpeza dos arruamentos e manutenção de espaços públicos. A medida foi bem recebida, mas, em alguns casos, “pode não ser suficiente”. “Para Alfarela a verba é razoável, mas para algumas freguesias pode não chegar. Têm uma extensa área para limpar e vão precisar de mais apoio da autarquia. A solução passaria por fixar um valor em função das necessidades de cada uma. Cada caso é um caso”, referiu.

Em termos de obra, o que urge é a requalificação da ligação entre a sede da freguesia e o lugar de Cidadelha de Jales. Ainda recentemente foi inaugurada a restauração da Praça do Pelourinho, aquando da celebração dos 500 anos do Foral das Terras de Jales, em setembro, um marco histórico para a freguesia. No que respeita a saneamento básico e rede de distribuição de água, a freguesia está coberta a 100 por cento.

Mas o pelourinho não é o único monumento que enriquece este território. É possível visitar cruzeiros em todas as aldeias e ainda um castro em Cidadelha, ou “castelo dos mouros”, que, infelizmente se encontra ao abandono.

No que respeita à economia, a freguesia já teve um pouco de tudo. Agora, resta uma oficina, um centro de convívio, um minimercado e um café. A panificadora, encerrada há cerca de três anos, dava reputação ao conhecido pão de Alfarela. A freguesia era rica em moinhos a água, que moíam o centeio e o milho, por exemplo, para o fabrico do pão. Hoje, tal tradição esvaneceu-se.

(…)

Reportagem na integra na edição nº 7 de 21 de outubro de 2014

Comentar

Please enter your comment!
Please enter your name here