Antero Pereira é um conhecido artesão do concelho aguiarense. Natural de Lamego mas radicado na aldeia de Quintã de Jales, na freguesia de Vreia de Jales, possui centenas de peças, elaboradas por si. Em tempo de Páscoa, o “Notícias de Aguiar” foi conhecer alguns dos seus trabalhos.

Com 74 anos, as mãos cansadas já não trabalham o barro como antigamente. Mas com mais de três décadas dedicadas ao artesanato, é com facilidade que se encontra, em sua casa, uma grande quantidade de objetos, entre presépios, moinhos, soldados romanos e figuras religiosas. Mas há também peças que recriam ofícios, como o lavrador, o carpinteiro ou o sapateiro.

Nasceu em Lamego mas viveu a maior parte da sua vida em Mafra. Nesta localidade do sul dedicou parte do tempo na realização de obras de barro na aldeia típica de José Franco, uma aldeia-museu em Sobreiro. Está há cerca de duas décadas em Vila Pouca de Aguiar, concelho onde casou e constitui família. Orgulha-se de ser um autodidata numa arte com a qual teve o primeiro contacto aos 12 anos. “Em pequeno comecei a mexer no barro mas só mais tarde, aí pela década de 80, é que comecei a trabalhar mais a sério. Cheguei a vender muitas peças em Mafra e mais recentemente em Vila Pouca, Chaves ou Vila Real. Sou dos poucos artesãos que consegue fazer os pormenores das caras das figuras, por mais pequenas que sejam”, declarou, orgulhoso.

(…)

Reportagem completa na edição nº 80

Comentar

Please enter your comment!
Please enter your name here