Aurora de Jesus Ferreira Gonçalves, natural de Outeiro, Telões, comemorou, no passado dia 24 de maio, os seus 104 anos, repletos de alegria, felicidade e, principalmente, boa saúde. A família juntou-se à mesa, num almoço no restaurante a Recta, que assinalou mais um aniversário da mãe, avó, bisavó e triavó.

Foram cerca de 33 os familiares que cantaram os parabéns à aniversariante, aquela que é, possivelmente, a senhora mais idosa do concelho. Completar 100 anos é, nos dias de hoje, uma raridade, mas 104 é obra. Diz o seu médico, inclusive seu familiar, que não tem restrições alimentares, ouve e vê razoavelmente bem e não padece de nenhuma doença.

Aurora Gonçalves nasceu a 18 de maio de 1911 e teve 5 filhos, 13 netos, 22 bisnetos e 3 trinetos.

Notícia na edição nº 38

1 COMENTÁRIO

  1. Chamo-me Constantino Menino e sou da família dos Portelinhas
    Família esta, que nasceu no Minho nos princípios do século 13 mas que se deslocou para Trás-os-Montes e se encontra em Chaves, em Aguiar e na aldeia de Telões e arredores, desde antes do século 15 e existem espalhadas por todo esse vosso distrito centenas de Portelinhas.
    Dai de Trás-os-Montes esta família se multiplicou e migrou para o sul de Portugal e dai se espalhou pelo mundo e hoje constam Portelinhas em mais de 45 países e com mais de 7.000 membros.
    Em praticamente todos os países da Europa, até a Rússia, China, Coreia, Japão, Índia, América, Canada, México, Angola, Moçambique e etc… etc… Existem Portelinhas em todos os continentes e de todas as raças e conto-vos isto porque esta família embora tenha nascido no Minho foi ai que se instalou a muitos séculos e dai se expandiu pelo mundo.
    Existem clubes de Futebol, Supermercados, Escolas primárias, ruas, praças, avenidas, aldeias, fontanário ou rios e até escolas de Samba com o nome Portelinha, e em todo o lado e por todo o mundo.
    No Brasil ou em África por exemplo esta família fundou cidades e estados.
    Esta família ganhou este nome devido a fazer parte de uma secção do exercito Portugueses que protegia as Portelinhas dos castelos de Portugal (Portelinha era a porta do interior de um castelo ou de uma casa) e assim éramos os protectores dessas portas ou portadas.
    Estivemos em todas as guerras e em todas as batalhas na defesa deste nosso grande pais que muito nos orgulhamos… Estivemos ao lado do Rei sempre que este defendeu Portugal contra as pretensões Espanholas e estivemos contra o Rei sempre que sentimos que estavam contra o povo, ou o país e assim foi quando o nosso Rei era o Rei Filipe de Espanha e como não o reconhecemos como nosso Rei, fomos torturados, perseguidos, expulsos e deportados.
    E assim nos espalhamos mais ainda e nos multiplicamos e estranhamente a nossa força aumentou tanto como família como a vontade maior de sermos Portugueses com mais orgulho.
    E desta forma estivemos com os Bandeirantes no Brasil e ajudamos a impor as novas fronteiras do Brasil contra as colónias Espanholas e resistimos aos invasores Holandeses no Brasil, na Índia, nas Filipinas, em Angola e em Timor, e voltamos para impor a independência, e regressamos de novo, quando o Rei fugiu das invasões Francesas, mas nós estivemos aqui na batalha a defender o nosso pais e estivemos de novo, com o mestre de Avis e de novo ao lado de Portugal quando a Inglaterra nos fez o ultimato por causa do mapa cor de rosa acabamos por estar ao lado dos Republicanos e por fim estivemos contra a ditadura de Salazar e agora, andamos por aqui de novo a procurar ajudar e a lutar, por este nosso pais que tanto amamos.
    E este é resumidamente a nossa humilde história… A historia de uma família de Trás os Montes que nasceu no Minho e conto-vos isto devido a duas coisas
    Porque somos daí, e porque noticiaram uma notícia de uma senhora que me disseram ainda ser uma prima afastada nossa, que fez 104 anos e que também é dai
    Um abraço para vocês e para todos os Transmontanos
    De Constantino José Portelinha Menino.

Comentar

Please enter your comment!
Please enter your name here