A Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar vai celebrar, na próxima sexta-feira, dia 6 de março, um protocolo com a empresa Iberdrola, responsável pela construção das barragens do Alto Tâmega, para a “promoção da contratação local” no empreendimento que envolve um investimento de 1,2 mil milhões de euros e implica a criação de 13500 postos de trabalho.

O protocolo, que dará primazia à mão de obra da será assinado por todos os municípios envolvidos na obra, designadamente Vila Pouca de Aguiar, Ribeira de Pena, Chaves, Boticas, Cabeceiras de Basto.

Alberto Machado, autarca que inclusive é responsável pela seção de barragens da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), referiu que “num ciclo económico negativo, o que se espera da construção das três barragens é as mais-valias possam ser cá deixadas”. “Vamos ser muito exigentes nesta matéria. Temos que garantir que as comunidades são ajudadas e compensadas nas perdas que vão ter com as barragens. É muito importante que haja retorno para a comunidade”, referiu.

No âmbito deste protocolo, a Iberdrola comprometer-se-á a “privilegiar e promover, seja diretamente por si seja através das entidades por si contratadas, a contratação de empresas locais e de mão-de-obra sedeada no município de Vila Pouca de Aguiar, no âmbito dos trabalhos de construção”.

(…)

Artigo completo na edição nº 26, nas bancas

 

2 COMENTÁRIOS

  1. verdadeiramente nao sei se iremos ter algum beneficio da barragem de parada de monteiros porque barragem do vidago nao tem nada Mas enfim se assim o quiseram assim o teem falo assim porque sou Natural de parada de monteiros se essa barragem tivesse vindo ha cinquenta anos antes sim que a aldeia podia ter algum beneficio agora que a aldeia Esta morta e que vem a barragem.

  2. A barragem é bom que tenha o nome de parada de Monteiros,e que comessem os tarbalhos o mais depressa posivel já estão atrazados pelo menos 30 anos.

Comentar

Please enter your comment!
Please enter your name here