Nos anos 50 do século passado, quando milhares de portugueses optavam pela emigração, diversas famílias aceitaram o desafio de colonizar as zonas mais desérticas do Portugal continental, nomeadamente a serra do Alvão.
Assim, António de Oliveira Salazar mandou preparar, por intermédio da Junta de Colonização Interna, terrenos para 160 colonos que ocuparam 4 mil e 355 hectares de terrenos baldios.
O plano de ação junta foi apresentado em 1937 e tinha como objetivo o desenvolvimento da atividade agrícola nos distritos de Portugal com mais área de baldios, designadamente no interior do país.

(…)

*Artigo completo na edição nº 10

Comentar

Please enter your comment!
Please enter your name here