O Museu Municipal de Vila Pouca de Aguiar vai receber, entre 17 de março e 28 de abril, uma exposição de fotografia coletiva e internacional sobre o Nepal. “País de sorrisos” e “Pelos trilhos da luz” são duas exposições fotográficas sobre um país que vale a pena conhecer.

No próximo dia 17, sexta-feira, pelas 18h30, vai realizar-se no Museu Municipal a abertura formal da exposição, um momento que servirá ainda para apresentar o livro sobre o mesmo tema, na presença dos autores Luís Reina e Helena Homem de Melo.

A exposição contempla ainda um traje masculino e um feminino (criança), cedidos para o efeito por Bharat, um membro da grande comunidade nepalesa do Porto. Também uma pequena mostra do artesanato tradicional deste país, com as janelas, talhadas em madeira (réplicas das janelas dos palácios reais nepaleses).

 

Duas exposições e um livro

O projeto de fotografia sobre o Nepal, que vai estar patente no Museu Municipal, é composto por duas exposições: “Nepal pelos Trilhos da Luz” e “Nepal País de Sorrisos”, e ainda por um livro inerente à exposição principal sobre o país.

O mentor da exposição, Luís Reina, explicou que a ideia surgiu na sequência de uma viagem àquele país asiático. “Este projeto nasceu da preparação da minha viagem ao Nepal, bem como da troca de informações relacionadas com este país, com a Helena Homem de Melo, a quem fiz o convite de participação ainda antes da partida para o mesmo. O convite relativo à participação especial do fotógrafo Michel Hervé foi feito in loco. A exposição ‘Nepal pelos Trilhos da Luz’ reflete o circuito feito por mim e pelo Michel Hervé no Nepal, acrescido do tracking feito pela Helena Homem de Melo no Everest. Assim sendo, esta exposição é uma viagem fotográfica através da arquitectura milenar, da arte, da natureza e do povo deste país. A segunda exposição, ‘Nepal País de Sorrisos’, nasceu no próprio Nepal. Proveio do convite feito por mim a todos os participantes no circuito realizado. Convite aceite por todos com a exceção de duas pessoas.

As imagens que compõem esta exposição são retratos e fotografia de rua. Duas visões da mesma pessoa ou do mesmo local, a de Luís Reina (imagem analógica) e a de cada um dos participantes (imagem digital). No fundo, a visão de quem trata a fotografia por tu e a visão do turista que quer imortalizar um determinado momento.

 

10 artistas compõem acervo único

 Os artistas que compõem esta amostra no Museu Municipal de Vila Pouca de Aguiar são Christine Demaggio (França), Erik Demaggio (Itália), Isabelle Hervé (França), Isabelle Lucas (França), Jean Pierre Dorival (França), Jean Pierre Ranucci (Franco/Italiano), Mauricette Lefèvre (Luxemburgo), Michel Hervé (França), René de Cooman (Bélgica) e Viviane Devigne (França).

O livro constitui um documento importante sobre este país já que as imagens foram obtidas cinco meses antes do terramoto de 25 de abril 2015, que destruiu uma grande percentagem do Vale de Katmandu, sendo que no caso de Helena Homem de Melo as imagens foram feitas dois anos e cinco meses antes. Será no futuro um documento do que era este país, Património cultural da UNESCO, completamento perdido e que muito dificilmente será reconstruído.

 

Vendas revertem para a reconstrução do Nepal

O lançamento público deste projeto contou com a presença da cônsul do Nepal no Porto, bem como de elementos representantes da vasta comunidade nepalesa, e foi realizada no mês de março de 2016 no Museu D. Diogo de Sousa, em Braga. Também foi feita nesta altura o lançamento do livro composto pela totalidade das fotografias da exposição principal, “Nepal pelos trilhos da Luz”. Seguiram-se diversas apresentações em várias associações e instituições do distrito do Porto entre as quais a Universidade do Porto.

Para 2017, e depois da apresentação deste projecto artístico em Vila Pouca de Aguiar, o mesmo segue para Estrasburgo, mais precisamente para Molsheim, esperando a participação não só das individualidades locais, como também do cônsul de Portugal em Estrasburgo. Será integrado num vasto programa dedicado durante todo o mês de Junho a este país asiático, com a colaboração de duas associações nepalesas da comunidade do Nepal da Alsácia.

Para o próximo ano prevê-se o lançamento na zona sul de Portugal, mais concretamente em Oeiras, bem como uma pequena amostra deste projecto estará patente durante o Festival Internacional de Cinema de Avanca, região de Aveiro.

Parte da venda das fotografias e livros será canalizada para a reconstrução do Nepal através da Associação Obrigado Portugal.

PARTILHAR
Artigo anteriorUNESCO visitou Complexo Mineiro Romano de Tresminas
Próximo artigoEdição nº 129
Diretor do jornal semanal "Notícias de Aguiar" Jornalista profissional desde 2009

Comentar

Please enter your comment!
Please enter your name here