Dezenas de fogos florestais provocaram milhares de euros em prejuízos no concelho. Casas devolutas, armazéns, alfaias e máquinas agrícolas, veículos automóveis, explorações pecuárias e animais foram devastados pelas chamas.  

Os fogos florestais deram finalmente tréguas no concelho de Vila Pouca de Aguiar. A última semana foi particularmente atípica com dezenas de incêndios que deixaram um rasto de destruição e fustigaram principalmente as freguesias de Telões e Alvão.

A paisagem ficou completamente alterada. Por todo o lado foi possível perceber a destruição deixada pelos fogos, que não se limitou a consumir dezenas de hectares de mato e floresta. As maiores perdas registaram-se principalmente nos sectores agrícola e pecuária.

As altas temperaturas da última semana foram como um rastilho para as chamas que assolaram a região. As temperaturas nas estações meteorológicas bateram recordes históricos e acabaram por ser o pior inimigo para os milhares de operacionais que combateram os fogos.

Bombeiros voluntários (não só da corporação de Vila Pouca de Aguiar, mas também de corporações vizinhas), Força Especial de Bombeiros (canarinhos), GIPS da Guarda Nacional Republicana (GNR), sapadores florestais, exército e Proteção Civil foram as entidades envolvidas no combate às chamas e que evitaram um cenário ainda mais desolador.

(…)

Reportagem completa na edição nº 103, nas bancas

PARTILHAR
Artigo anteriorManto da Misericórdia entregue ao Papa Francisco
Próximo artigoEdição nº 103
Diretor do jornal semanal "Notícias de Aguiar" Jornalista profissional desde 2009

Comentar

Please enter your comment!
Please enter your name here