A construção das três barragens do Tâmega, um investimento de 1500 milhões de euros por parte da Iberdrola, empresa concessionária, está a decorrer dentro do previsto. As obras estão a avançar a bom ritmo nas barragens de Gouvães, Daivões e Tâmega (próximo de Parada de Monteiros), com o impacto económico a notar-se nas principais vilas dos concelhos de Vila Pouca de Aguiar e Ribeira de Pena e Cabeceiras de Basto.

Com a chegada de milhares de trabalhadores às várias frentes de obra, a hotelaria, restauração e serviços saem beneficiados, contribuindo positivamente para a socioeconomia do território atingido pelo empreendimento.

O presidente da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar mostrou-se agradado pelas contrapartidas económicas que esta obra está a motivar no concelho, algo que aconteceu num passado recente, com a construção das autoestradas A7 e A24. “Quando foram construídas estas vias, a economia ressentiu-se positivamente. Nas barragens mais ainda porque o número de operários, técnicos, entre outros profissionais é maior e a obra estende-se mais no tempo. Tudo isso tem um efeito positivo na economia”, afirmou.

(…)

Reportagem completa na versão impressa

Edição nº 145, já nas bancas

PARTILHAR
Artigo anteriorMau tempo em Vila Pouca de Aguiar
Próximo artigoEdição nº 145
Diretor do jornal semanal "Notícias de Aguiar" Jornalista profissional desde 2009

Comentar

Please enter your comment!
Please enter your name here