O Réveillon é tradicionalmente vivido pelos habitantes do concelho de Vila Pouca de Aguiar. A poucos dias do final do ano, o Notícias de Aguiar dá-lhe algumas sugestões para aproveitar esta ocasião festiva.

Além do fogo-de-artifício, existem várias possibilidades para entrar em 2017 com o pé direito. O final de ano está à porta e as festividades aproximam-se. A fogueira de final do ano, por exemplo, promete aquecer os corações de todos os que convivem à sua volta, com animação, música, bebidas, fogo-de-artifício e sobretudo muita cultura que é passada de geração para geração.

Em algumas aldeias do concelho, como na freguesia de Valoura, persiste a tradição de acender a fogueira por volta da meia-noite de sábado e acompanhar o “velho”, uma figura do imaginário coletivo, que percorrerá a aldeia e será lançado por fim à fogueira. A “foga”, o “tição” ou simplesmente o canhoto são as várias designações atribuídas a esta singela tradição transmontana de fazer uma fogueira no coração da aldeia, para juntar os habitantes no final de ano. A fogueira é um ritual de purificação, gratidão e celebração, uma forma de entregar ao “espírito do fogo” todas as cargas negativas do ano que agora termina.

Para os mais jovens, os bares da Urbaguiar, e o Club 11, na Rua Duque D’Ávila e Bolama, em Vila Pouca de Aguiar, voltam a abrir as portas no réveillon para receber os foliões do fim de ano, em eventos que decerto vão ter as tradicionais passas, o bolo-rei e a champanhe.

Em Nozedo, a animação está garantida com o músico Vítor Pica, a partir das  22h, numa iniciativa da Comissão de Festas de Nozedo. A entrada é livre. Já em Pedras Salgadas, o Casino do Parque Termal vão abrir as suas portas para a habitual festa final de ano, com todo o glamour que caracteriza este local.

As festividades acabam no Domingo, iniciando-se assim um novo ano.

Comentar

Please enter your comment!
Please enter your name here