Vila Pouca de Aguiar e Tresminas vão regressar à época romana de 17 a 19 de julho através da quinta edição do Festival do Ouro Romano. Organizado pelo Município e EHATB, o festival inclui banquete, desfile, mercado, animação e visitas guiadas ao Complexo Mineiro Romano e Centro Interpretativo de Tresminas.
No primeiro dia, em Tresminas (a partir das 17h30), é a estreia oficial do Centro Interpretativo onde foi criado um percurso expositivo que aborda a romanização, a mineralização e a biodiversidade; realizar-se-á uma visita orientada, seguida de um banquete romano com animação.
No segundo dia, em Vila Pouca de Aguiar (a partir das 10h00), é possível assistir a recriações históricas, demonstrações de aves de rapina e encenações teatrais. Ao final da tarde, o grande cortejo romano pelo centro histórico e, à noite, luta de gladiadores e apreciação do mercado romano.
No terceiro dia, em Vila Pouca de Aguiar (a partir das 10h00) e Tresminas (a partir das 14h30), há animação sociocultural e oficinas temáticas e será possível ‘sentir o ouro’ através de um evento fotográfico romano e da visita às cortas e galerias romanas. O festival termina com o circo romano e animação musical.
O Festival do Ouro Romano é a manifestação cultural da nossa comunidade para honrar o legado romano e, desta forma, valorizar o património histórico do complexo mineiro que tem ainda muito para dar à região e ao país.

Complexo Mineiro Romano de Tresminas

O Complexo Mineiro Romano de Tresminas representa uma das mais importantes e mais bem preservadas explorações de ouro do Império Romano. A exploração em larga escala das jazidas auríferas foi despoletada pelo primeiro imperador romano, Augusto (27 a.C. – 14 d.C.), que introduziu a moeda de ouro – aureus – no sistema monetário vigente. Em Tresminas, como noutros lugares do Império, nada mais seria como dantes. Os séculos I e II d.C. foram de intensa atividade mineira, principalmente para exploração de ouro, mas também de outros minérios, como prata e chumbo. Conduzida pela mão romana representada pelos destacamentos militares, esta mina pública romana que abrangeria ainda a zona de Jales, concorreu com largas toneladas de ouro para o fornecimento do fiscus.
Dos trabalhos hercúleos concretizados em Tresminas resultou um conjunto monumental formado pelas cortas de extração mineira a céu aberto e por um interessante complexo de poços e galerias subterrâneas de apoio à mineração. Durante cerca de dezoito séculos, este património mineiro permaneceu bem preservado, o que motivou a sua classificação pelo potencial histórico-arqueológico como Imóvel de Interesse Público (1997) e, mais recentemente, a classificação de alguns componentes do sistema de abastecimento de água a esta zona mineira como Monumento de Interesse Público (2012).
Atualmente, os trilhos sinalizados no Complexo Mineiro Romano de Tresminas possibilitam a circulação pelas principais áreas da antiga mina e a fruição da vasta biodiversidade deste local: dos miradouros sobre as cortas mineiras observa-se o elevado desmonte de rocha com vista à extração do metal mais precioso; nas galerias subterrâneas, contacta-se diretamente com os ambientes mais peculiares desta área mineira.

Centro Interpretativo de Tresminas

Localizado no centro da aldeia de Tresminas, em estreita relação com a Igreja de São Miguel, o Centro Interpretativo conheceu uma recente requalificação, da qual resultou um núcleo museológico com conceito renovado mas com o mesmo objetivo: a compreensão da área mineira romana de Tresminas e a interpretação da paisagem resultante dos séculos de intensa exploração aurífera nesta região.
Ouro e tecnologia mineira, rede hidráulica, história, geografia e rede viária são temas do percurso expositivo, devidamente complementado com um anfiteatro ao ar livre para espetáculos culturais.
Com um espírito eclético e permeável com o meio envolvente, o Centro Interpretativo é composto por dois espaços – a antiga residência paroquial, de arquitetura tradicional, e um módulo de linhas contemporâneas, inspirado na herança romana de Tresminas – com áreas expositivas claramente subsidiárias das características de cada edifício. Complementarmente, integra um espaço exterior, propício à experimentação e ao contacto com a tecnologia aplicada em época romana para máximo aproveitamento do ouro, designadamente os moinhos de trituração e pulverização da rocha mineralizada.
Descobrir, explorar, experimentar são palavras-chave no Centro Interpretativo de Tresminas, que se pretende seja basilar para a valorização turística deste conjunto monumental do concelho de Vila Pouca de Aguiar, cujas caraterísticas ímpares o destacam quer na esfera nacional quer a nível internacional.

Início do processo para candidatura à UNESCO

O Município aprovou a criação de um grupo de trabalho para o processo de candidatura do Complexo Mineiro Romano de Tresminas e Jales a Património Mundial da Humanidade.
O grupo envolve a participação de entidades nacionais e internacionais, com o único objetivo de preparar o processo de candidatura do Complexo Mineiro Romano de Tresminas e Jales a Património Mundial da Humanidade, a ser reconhecido pela UNESCO.
O reconhecimento pela UNESCO do legado histórico de Tresminas e Jales será a maior projeção de Portugal no que respeita ao património mineiro. O processo visa, desde logo, a valorização do património nacional para a sua proteção e divulgação do Imóvel de Interesse Público (1997).
Atualmente, também está classificado como museu português ao ar livre (a área classificada é cerca de 40km2; o complexo mineiro estende-se por 120 km2);
Tresminas é, provavelmente, o local que detém o mais importante e bem conservado complexo mineiro do Império Romano na Europa, intocável desde a segunda metade do século II. Ali, há um património arqueológico único e preservado há cerca de dois mil anos.
O investimento global ascende os cinco milhões de euros (centro interpretativo, escavações, valorização do parque arqueológico, eventos culturais,…) e visa contribuir para dar ‘corpo’ à candidatura à UNESCO e consequente valorização da socioeconomia regional.

Programa:

Sexta-feira, 17 de Julho – Tresminas
17h30m (Centro Interpretativo de Tresminas)
– Inauguração oficial do Centro Interpretativo de Tresminas
– Visita orientada ao equipamento com animação temática

19h30m (Parque de Estacionamento de Tresminas)
– Banquete romano com animação musical
(Sujeito a inscrição – 259 459 091)

Sábado, 18 de Julho – Vila Pouca de Aguiar
10h Animação Constante (Praça João Paulo II)
– Abertura do Mercado Romano
– Recriações Históricas
– Demonstrações com aves de rapina
– Animação musical
– Encenações Teatrais
– Oficinas temáticas
– Área infantil
– FEMINA – beleza feminina

12h30 Almoço no recinto (Praça João Paulo II)
18h (Praça João Paulo II e ruas contíguas)
PROCESSIO PER VIAS
– Grande cortejo romano pelas ruas de Vila Pouca de Aguiar
21h30m (Praça João Paulo II)
LUDI GLADIATORI
– Luta de Gladiadores

24h Encerramento do Mercado Romano

Domingo, 19 de Julho – Vila Pouca de Aguiar e Tresminas
10h (Praça João Paulo II)
– Abertura do Mercado Romano
– Recriações Históricas
– Demonstrações com aves de rapina
– Animação musical
– Encenações Teatrais
– Oficinas temáticas
– Área infantil

12h30 Almoço no recinto (Praça João Paulo II)

14h30 (Complexo Mineiro Romano)
FEEL THE GOLD
– Sessão fotográfica no Complexo Mineiro Romano de Tresminas
Em colaboração com Desvaneios, Delírios & Utopias

17h30 (Centro Interpretativo de Tresminas)
Animação musical

18h (Centro Interpretativo de Tresminas)
PENAS D’OURO
– Demonstrações com aves de rapina

21h00 (Praça João Paulo II)
LUDI CIRCENSES
– Circo Romano
– Animação musical

Encerramento do Festival

Comentar

Please enter your comment!
Please enter your name here