Casa da Eira: retiro edílico transformado em alojamento local

Data:

O pós-pandemia despertou os viajantes para os encantos de alojamentos em contexto rural, onde predomina a natureza e a rusticidade naturais. Daí que, desde 2020, tenham nascido no concelho de Vila Pouca de Aguiar, à semelhança de outros pontos do país, alguns alojamentos que complementam a oferta hoteleira local.

Neste sentido, em 2023 nasceu a Casa da Eira, um Alojamento Local (AL) que se caracteriza como “um retiro edílico, com capacidade para duas ou três pessoas”, que resultou da recuperação de uma habitação de duas assoalhadas na Rua da Eira, em Parada de Aguiar (ou Parada do Corgo), na freguesia de Soutelo. A sua envolvente não poderia ser mais rural: está situada junto a uma eira, com dois canastros e ainda um afloramento rochoso com vestígios rupestres na proximidade.

Ernesto e Márcia Ribeiro, a residir em Alenquer (distrito de Lisboa), são os proprietários da habitação. Apesar de Ernesto não morar atualmente em Parada (foi tripulante de cabine da TAP durante 30 anos), toda a sua família é desta aldeia. “Tenho uma grande família aqui nascida”, conta o agora advogado.

Apesar da ligação familiar a Parada de Aguiar, a casa não foi deixada por herança. “Compramos a casa, inicialmente, para ajudar uma pessoa amiga que estava em dificuldades e que não tinha onde ficar. Quando ela saiu, começamos a pensar no que fazer com a casa”, acrescenta Ernesto, que, com a esposa, resolveram requalificar e converter o espaço em AL. “Gostávamos da casa, mas tínhamos de lhe dar uso. Por isso pensamos em convertê-la para turismo”, refere.

A maioria das reservas vem das plataformas digitais (AirBnB ou Booking) e os visitantes chegam de várias partes do mundo, mas sobretudo de Portugal. “Há pessoas a percorrer a EN2, uma vez que fica aqui próxima, mas também temos visitantes que gostam da natureza ou aproveitam para visitar alguns locais aqui próximos”, acrescenta o casal, ciente das potencialidades do território.

O investimento em Terras de Aguiar não se ficou pela casa convertida em AL em Parada, já que, à boleia desta vontade de apostar nas raízes, adquiriram o Monte Carlo, restaurante e alojamento em Pedras Salgadas, junto à EN2. “Em baixo temos o restaurante, que serve refeições diariamente, e em cima temos o alojamento”, complementa Ernesto.

É a nova vida, voltada para o turismo, de territórios de baixa densidade que têm para oferecer tranquilidade, enquadramento natural, património e boa gastronomia.

Filipe Ribeiro

Artigo anterior
Próximo artigo

Partilhar

Últimas

Artigos relacionados
Relacionado

Autarquia com selo de mérito pelo Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais

O projeto da autarquia Aguiar Cuida foi reconhecido pelo...

Lançamento do Martelo: Joel Borges conquista medalha bronze em nacional sub-18

O atleta do CTM Vila Pouca de Aguiar, Joel...

Vila Pouca de Aguiar marca presença na Bolsa de Turismo de Lisboa 2024

Vila Pouca de Aguiar vai participar na Bolsa de...

Apresentado Plano Municipal de Ação Climática

O Plano Municipal de Ação Climática foi apresentado a...