Ângela Teixeira: “é importante posicionar Vila Pouca de Aguiar como território de saúde e bem-estar” 

Data:

A aguiarense Ângela Teixeira, com mais de 20 anos de experiência na área da assessoria e relações-públicas, está a trabalhar para posicionar Vila Pouca de Aguiar como um território de saúde e bem-estar, com forte aposta na natureza e na valorização da cultura e património locais. 

Há uma tendência crescente na promoção de destinos turísticos de saúde e bem-estar, ou que promovam a natureza e a sustentabilidade. São destinos com reduzida afluência turística, mas que se enquadram num segmento alto, normalmente ligados a territórios de baixa densidade. 

É neste nicho que Ângela Teixeira, relações-públicas de profissão, que faz assessoria de comunicação, ligada ao turismo, quer posicionar Vila Pouca de Aguiar. “Sinto que o concelho tem tudo para ser um ótimo destino de saúde e bem-estar. Este posicionamento faz todo o sentido se pensarmos que Pedras Salgadas, no auge do termalismo, já foi um grande destino de cura”, contou. 

Para a relações-públicas, o concelho tem todo o potencial para se afirmar na realização de eventos que envolvam caminhadas em percursos naturais, retiros de cura, contemplação ou observação da natureza, introspeção, etc. “Tudo isso é espiritualidade”, disse. 

Trata-se de um trabalho difícil, mas “desafiante”. “Vila Pouca de Aguiar tem muitos pontos fortes. É um território muito bom para investir ao nível de turismo sustentável. Não é um território de massas. É muito bom para nichos, para um segmento alto. A interioridade, que para muitos é uma coisa má, pode ser vista como uma oportunidade. É um tipo de mercado que valoriza a preservação da natureza e de tudo o que está em seu redor”, referiu a relações-públicas, dando como exemplo o Tinhela 610, um eco-resort que vai abrir, em pleno rio Tinhela, no próximo verão. 

Este trabalho pode ser moroso, mas “não se faz sem as pessoas que aqui vivem”. “Os melhores relações-públicas do território são as pessoas que lá vivem e trabalham. São as pessoas que, por exemplo, andam na rua e dão indicações. Todas as pessoas da comunidade acabam por ajudar a comunicar e a divulgar o próprio território”, continuou Ângela Teixeira.  

“O território está repleto de oportunidades” 

Ângela Teixeira fez carreira em empresas ligadas ao turismo, mais recentemente na rede de hotéis de luxo Hilton, tendo sido a primeira a mediatizar a marca hoteleira em Portugal, com a organização de eventos sociais. 

A relações-públicas tomou consciência das potencialidades do território um pouco antes pandemia, numa altura em que desenvolveu “um modelo de comunicação para territórios de baixa densidade, com o objetivo de dar conhecer e preservar o património natural e cultural, que assenta na identidade”. Denotou, por isso, que “havia uma oportunidade de comunicação no território”. 

“Foi em Vila Pouca de Aguiar, de onde sou natural, onde cresci, que senti a necessidade de implementar um projeto turístico. Nada como aproveitar as ferramentas e as aptidões que tenho para promover e dar a conhecer este território”, contou.  

Numa altura em que já fazia retiros de saúde e bem-estar, em Pedras Salgadas, com a Natur Roots, conversou com a Câmara Municipal para desenvolver este modelo de promoção do território, assente nestes pressupostos. “Neste momento, o meu trabalho é realizar consultoria na área da comunicação, para a marca Vila Pouca de Aguiar, enquanto destino turístico”, declarou. 

Pela necessidade de criar uma imagem que traduzisse tudo isso, foi criado o “Visit Vila Pouca”, com a ajuda de uma empreendedora local. “Para as pessoas conhecerem o concelho, tínhamos de encontrar uma marca que abraçasse tudo. A marca Visit Vila Pouca vai ao encontro do que já existe noutros destinos que estão muito bem posicionados nesta área. Estamos a seguir uma tendência de mercado. As pessoas procuram muito o turismo de natureza, gastronomia, cultura, etc.”, acrescentou Ângela Teixeira. 

Concelho é um “pulmão verde” com muitos locais de interesse turístico 

“Pretextos não faltam para visitar o nosso território”, confessou Ângela Teixeira, apontando alguns bons exemplos: “Tresminas e Jales é um importante “gancho” de comunicação. Tresminas é um local turístico muito bem preservado. Mas também temos o Alvão, o Castelo de Aguiar e o Vale de Aguiar e, claro, Pedras Salgadas. Depois temos imensos trilhos, o Caminho Português Interior de Santiago, a Estrada Nacional 2… Tudo o que temos aqui pode ser uma experiência turística, que traz emoção às pessoas”, afirmou.  

A estratégia do trabalho liderado por Ângela Teixeira “passa por trazer pessoas que valorizam as potencialidades do concelho, para dar visibilidade ao território e, por sua vez, rentabilidade aos operadores”. “O desafio maior é garantir mais ocupação e por mais tempo, e principalmente quebrar a sazonalidade”, sublinhou. 

São exemplo de visitas de relevo ao nosso território as gémeas brasileiras Giselle e Michelle Batista, a atriz da Globo Giovanna Antonelli, mas também a apresentadora Sónia Araújo, entre outros. Recentemente, Vila Pouca de Aguiar foi também tema principal do guia “Boa Cama, Boa Mesa”, do Expresso. 

Ângela Teixeira considerou, por isso, que o concelho, qual “pulmão verde” no centro do Norte de Portugal, tem imensas potencialidades que o podem colocar na mira das pessoas mais influentes do meio social, que se identificam com esta temática, mas também de potenciais investidores e animadores da área do turismo. 

Filipe Ribeiro 

Partilhar

Últimas

Artigos relacionados
Relacionado

Casa da Eira: retiro edílico transformado em alojamento local

O pós-pandemia despertou os viajantes para os encantos de...

Autarquia com selo de mérito pelo Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais

O projeto da autarquia Aguiar Cuida foi reconhecido pelo...

Lançamento do Martelo: Joel Borges conquista medalha bronze em nacional sub-18

O atleta do CTM Vila Pouca de Aguiar, Joel...

Vila Pouca de Aguiar marca presença na Bolsa de Turismo de Lisboa 2024

Vila Pouca de Aguiar vai participar na Bolsa de...