Bragado: Casa da Pedra é refúgio de natureza

Data:


A história desta casa teve início há cerca de 30 anos. José Oliveira e Isabel Oliveira decidiram recuperar uma casa devoluta, muito antiga em granito, inserida numa grande quinta, na localidade de Bragado, no concelho de Vila Pouca de Aguiar.  Mas só recentemente, há três anos, depois de profundas obras de recuperação e até de ampliação, é que a Casa da Pedra se abriu ao turismo.

“Aqui pode encontrar um local de descanso e lazer de eleição. Pode recuperar do stress do trabalho, ou apenas aproveitar para conhecer esta bela região do país. Usufrua dos prazeres da vida na região do Alto Tâmega e Barroso, rica em costumes, boa comida e excelentes vinhos. Viva toda a beleza natural, o património cultural e os recursos que a natureza oferece”, pode ler-se no texto que acompanha a página da Casa da Pedra nas redes sociais.

A família de Isabel Oliveira é do concelho de Vila Pouca de Aguiar e a sua avó natural de Bragado. A residir no Porto, “praticamente desde sempre”, o casal sentiu a necessidade de se “refugiar”, de tempos em tempos, na companhia da família, num local rodeado de paisagem natural. “Recuperamos esta casa há 30 anos. Surgiu numa altura em que sentíamos necessidade de nos aproximar da vida do campo e da natureza, para fugir da cidade. Escolhemos o Bragado porque esta aldeia foi o berço da avó da Isabel, a minha esposa, um local onde vínhamos esporadicamente, para casa de um familiar. Por isso, resolvemos comprar uma casa para recuperar, que estava completamente em ruínas”, contou José Oliveira, o proprietário.

A primeira dificuldade surgiu logo na requalificação. “Era uma casa muito antiga, toda construída em pedra, mas não tinha grandes condições de comodidade. Tivemos de fazer uma área completamente nova, para suprir essas necessidades. Foi construída para ser usufruída por toda a família!”, acrescentou.

Aposta no turismo revelou-se acertada

Há cerca de três anos, porque a casa dispunha de condições para tal, decidiram apostar na vertente turística e transformá-la em alojamento local. “Com o tempo, tornou-se numa casa muito grande e, por isso, na altura decidimos transformá-la em alojamento”, disse o proprietário.

Atualmente, a casa tem quatro quartos, dois dos quais com casa de banho privativa, e uma capacidade para 10 pessoas. Lá dentro ainda encontramos uma ampla sala de estar com bilhar, matraquilhos, e mesa de jogos de cartas. Uma cozinha equipada, com sala de jantar, lareira e decoração tradicional, que nos remetem para tempos idos.

Além disso, a casa possuiu uma área exterior com cerca de 400 metros quadrados. Aqui encontramos o jardim, uma grande piscina, bar exterior e espaços de diversão para crianças.

Arrendada habitualmente a famílias, o público que procura a Casa da Pedra é essencialmente estrangeiro. “Temos franceses, holandeses ou alemães, que reservam o mínimo de seis dias de estadia, essencialmente no verão”, acrescentou José Oliveira.

Beneficiando de uma boa localização (perto do nó de acesso à A24, saída Bragado/Pedras Salgadas), a Casa da Pedra é uma opção a considerar, num período de pandemia, em que se privilegia a segurança e a privacidade.

Filipe Ribeiro

Partilhar

Últimas

Artigos relacionados
Relacionado

Casa da Eira: retiro edílico transformado em alojamento local

O pós-pandemia despertou os viajantes para os encantos de...

Autarquia com selo de mérito pelo Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais

O projeto da autarquia Aguiar Cuida foi reconhecido pelo...

Lançamento do Martelo: Joel Borges conquista medalha bronze em nacional sub-18

O atleta do CTM Vila Pouca de Aguiar, Joel...

Vila Pouca de Aguiar marca presença na Bolsa de Turismo de Lisboa 2024

Vila Pouca de Aguiar vai participar na Bolsa de...