Festival Inclusivo de Arte, Música e Cultura está de volta a Vila Pouca de Aguiar nos dias 28 e 29 de julho

Data:

Promovido pela Animodia Arte & Cultura, em parceria com o Município de Vila Pouca de Aguiar, o Festival Artimanha promete fazer desta localidade a Capital da Arte e da Cultura de Trás-os-Montes. Durante dois dias completos, a vila transmontana vai ser invadida com teatro, artes plásticas, música, circo e residências artísticas que prometem animar todos os visitantes.

Desde 2019 que este evento tem como missão a valorização da oferta cultural de regiões de baixa densidade. Em 2021, foi transmitido na RTP Palco e obteve a nomeação para concurso de Melhor Festival numa categoria de Iberian Festival Awards.

Através de iniciativas de criação artística a partir de temas transversais a todo o território, o festival de Arte e Cultura é um projeto que procura promover o envolvimento artístico de toda a comunidade. Conjugando espetáculos de música, teatro, artes circenses, dança, artes plásticas tradição, atividades ambientais, e um desfile inclusivo e sustentável, em parceria com a Cruz Vermelha, em que participarão jovens e adultos com deficiência, utentes do CAO.

O Artimanha é um evento completo a nível cultural, ambiental e de sustentabilidade social, já que, localizado num município sustentável com boas práticas ambientais, contribui através de: voluntariado inclusivo, utilização de material reciclado ou biodegradável, redução de resíduos e de desperdício; reciclagem de lixo; redução da Pegada Carbónica, potencia a economia circular e comércio local. Tem preocupação com o impacto ambiental na região, promoveu ações de Plogging e com o impacto emocional na comunidade (sensação de pertença).

Haverá espaço também para a promoção de produtos artesanais e produtos endógenos; preservação e divulgação das tradições culturais e etnográficas do território, contribuindo assim para o desenvolvimento económico da Região.

Segundo José Miguel Carvalho, Diretor Artístico: o festival Artimanha está inserido em zona de baixa densidade populacional com raízes fortemente rurais. E nasceu da ideia de se voltar para a comunidade. A partir de dinâmicas cooperativas e destacando temas que caraterizam a região. Permitindo também acesso a diversidade cultural, não só ao nível do espectador, mas também como elemento ativo e participante nas atividades do festival. Para a edição deste ano, os temas abordados são a Inclusão e a Sustentabilidade. Através da diversidade de atividades que proporcionamos, conseguimos levar o Artimanha aos mais velhos e em isolamento social. Está já prevista a participação de pessoas com deficiência em atividades no programa, assim como o voluntariado, à semelhança das edições anteriores.

Partilhar

Últimas

Artigos relacionados
Relacionado

Casa da Eira: retiro edílico transformado em alojamento local

O pós-pandemia despertou os viajantes para os encantos de...

Autarquia com selo de mérito pelo Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais

O projeto da autarquia Aguiar Cuida foi reconhecido pelo...

Lançamento do Martelo: Joel Borges conquista medalha bronze em nacional sub-18

O atleta do CTM Vila Pouca de Aguiar, Joel...