18 casos positivos em rastreio à Covid-19 na Escola de Pedras Salgadas

Local

Autoridade de Saúde não procedeu ao isolamento de mais turmas, uma vez que os casos já estavam isolados

Na sequência da realização de 123 testes à Covid-19 no Agrupamento de Escolas de Vila Pouca de Aguiar, no dia 18 de novembro, mais concretamente na Escola Básica de Pedras Salgadas, foram confirmados 18 casos positivos neste edifício escolar.

“Todos os que testaram positivo, neste rastreio, serão contactados, a partir de 21 de novembro, pela Autoridade de Saúde. Os que realizaram teste e não forem contactados, ao longo deste dia, significa que testaram negativo para a Covid-19”, informou o diretor do agrupamento, José Rodrigues Teixeira.

A Autoridade de Saúde Pública não procedeu ao isolamento de turmas, uma vez que a quase totalidade dos alunos que testou positivo integra turmas já anteriormente isoladas. “Portanto, estes casos positivos concentraram-se em turmas já isoladas há algum tempo, antes da realização da testagem massiva da passada quarta-feira, sobretudo numa turma do 3.º ano, pelo que não constituem qualquer fonte de contágio na Escola”, esclareceu o diretor.

Autoridade de Saúde considerou, ainda, que os restantes dois alunos que testaram positivo, em virtude de já não frequentarem as aulas no período de infecciosidade e o contacto ser considerado de baixo risco, “não constituem motivo para o isolamento das suas turmas”.

Relativamente aos quatro adultos que testaram positivo, um já se encontrava em isolamento com a sua turma e os restantes foram isolados a partir desta data. Todos eles foram considerados contactos de baixo risco, não constituindo, igualmente, perigo de contágio.

Rápida atuação no isolamento de alunos e turmas

Sobre os 18 casos positivos, o diretor do agrupamento esclarece que: “dois alunos foram considerados de baixo risco por já não estarem na Escola durante o período de infecciosidade, pelo que não se procedeu ao isolamento das respetivas turmas; doze crianças e alunos não constituíram motivo de isolamento de novas turmas, uma vez que o grupo/turma e as turmas a que pertencem já se encontravam em isolamento; quatro adultos não constituem perigo de contágio e não determinam o isolamento de turmas”.

Houve mais uma aluna da Escola Básica de Pedras Salgadas que, embora tenha testado positivo, em teste realizado antes do dia 18 de novembro, foi considerada de baixo risco por já não estar na Escola durante o período de infecciosidade, pelo que a sua turma também não foi isolada.

“A permanente atenção aos casos suspeitos e a rápida atuação no isolamento de alunos e de turmas, pelo Agrupamento em conjugação com a Unidade de Saúde Pública do Alto Tâmega e Barroso, tem permitido controlar as mais diferentes situações epidemiológicas que surgiram no exterior e foram trazidas para dentro das Escolas do Agrupamento”, acrescentou José Rodrigues Teixeira, em comunicado.

Como é do conhecimento público, até esta data, “não há dentro dos vários edifícios escolares do Agrupamento, qualquer surto de contágio”.

Agrupamento pede cumprimento rigoroso e reforçado das regras

O Agrupamento de Escolas de Vila Pouca de Aguiar, dirigido por José Rodrigues Teixeira, informou que continua vigilante e que saberá tomar atempadamente as medidas necessárias, em conjugação com as Autoridades de Saúde. “Contamos, também, com a preciosa colaboração dos pais/encarregados de educação, associações de pais, alunos, professores, pessoal não docente e outros parceiros educativos, nomeadamente a Câmara Municipal e as Juntas de Freguesia, referiu.

O diretor defende a continuidade as atividades letivas presenciais. “O funcionamento das atividades letivas presenciais, com as vantagens por todos reconhecidas, deve continuar com o cumprimento rigoroso e reforçado de todas as regras. Qualquer alteração ao regime de funcionamento presencial carecerá sempre da decisão das Autoridades de Saúde e do Ministério da Educação, mediante a análise profunda da evolução da pandemia”, disse.

Acrescenta que “todos os membros da comunidade escolar deverão estar atentos a eventuais sintomas e cumprir, com o máximo rigor, dentro e fora do recinto escolar, todas as regras, nomeadamente: manter o distanciamento; usar sempre máscara; lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou com uma solução de base alcoólica; adotar todas as medidas de etiqueta respiratória; não partilhar objetos nem alimentos”.

“Apelamos à responsabilidade individual de todos na luta contra este vírus, devendo cada um cumprir a sua parte. Sem este esforço conjunto, dificilmente conseguiremos ultrapassar o momento de pandemia que vivemos”, comunicou, por fim, o diretor.

Autor

Menu