Autarquia esclarece população sobre a qualidade da água da nova Estação de Tratamento

Local

A qualidade da água que serve as populações de Vila Pouca de Aguiar, Fontes, parte de Cidadelha de Aguiar, Carrazedo, Lixa e Paredes do Alvão tem apresentado, nos últimos dias, sinais de turvação (amarelada) evidentes por simples observação visual.

Esta nova captação de água, ainda sob responsabilidade da IBERDROLA, substituiu as três captações que existiam no Rio Torno, denominadas de Torno 01, 02 e 03 e que pertenciam ao Município de Vila Pouca de Aguiar e acrescentou uma Estação de Tratamento de Água.

A Câmara Municipal observou que efetivamente a qualidade da água captada deteriorou-se nos últimos dias e esse facto teve repercussões ao nível da água que chega aos munícipes, expressando de imediato a citada preocupação à entidade responsável e à Unidade de Saúde Pública, solicitando respetivamente ponto de situação permanente, procedimentos e cronograma de intervenções.

A IBERDROLA justificou com a necessidade de testes e ensaios e que o novo equipamento carece de correções pontuais no que concerne ao seu funcionamento, confirmando que efetivamente a qualidade da água captada deteriorou-se na última semana e esse facto teve repercussões ao nível do parâmetro do Ferro, à saída da ETA, que variou entre os valores 0,60 e 0,79 mg Fe/L, descrevendo ações técnicas em desenvolvimento, afirmando e citamos “é expectável que com as medidas implementadas, e no que respeita ao parâmetro do Ferro, se registem melhorias na qualidade da água já a partir do dia 26/07/2021. No entanto, à data de hoje, o valor registado do parâmetro Ferro é superior ao respetivo valor paramétrico, constante no Anexo I do DL 152/2017, conferindo apenas uma coloração ligeira da água. Convém esclarecer que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) registam que com valores inferiores a 2,0 mg Fe/L não representam qualquer risco para a saúde humana.”

Por sua vez a Unidade de Saúde Pública, que tem estado a acompanhar, juntamente com os serviços de águas da CMVPA esta situação, notificou formalmente o Município que “em relação à quantidade de Ferro, creio que estaremos no caminho da sua resolução. Além do efeito visual e na inerente perda de confiança dos utentes, o risco direto para a saúde, com águas ferrosas durante um curto período, não é elevado (excepto em doentes com hemocromatose, que estão informados que devem beber água de outra origem).”

Manteremos a população informada. A Câmara Municipal deu conhecimento da situação às respetivas Juntas de Freguesia, inclusive, dos pareceres referidos, na íntegra.

Local

Menu