CIM Alto Tâmega quer maior coordenação entre os municípios na proteção da floresta

Alto Tâmega

O Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, participou na passada quinta-feira, dia 22 de abril, em representação da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIM-AT), numa reunião com responsáveis da Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais (AGIF).

O encontro, que decorreu por videoconferência, permitiu abordar a metodologia e o plano de ação relativos aos três projetos-piloto implementados pelo Governo, no âmbito do Plano Nacional de Gestão Integrada de Fogos Rurais (PNGIFR), que abrangem, entre outros, os seis concelhos que constituem a CIM-AT, nomeadamente Boticas, Chaves, Montalegre, Ribeira de Pena, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar.

A criação dos projetos-piloto tem como objetivo “promover a organização, os recursos e a cadeia de processos no âmbito do PNGIFR, através da tomada de decisão entre as diversas entidades ao nível regional, sub-regional e municipal, com a finalidade de acelerar, de forma localizada, a cadeia de processos e monitorizar a alteração de aspetos críticos na gestão do território, assegurando a representatividade florestal, a vulnerabilidade, a heterogeneidade do risco de incêndio e o potencial de sinergia com outras ações relevantes”.

A AGIF faz parte da operacionalização e execução dos projetos, apoiada por outras entidades, nomeadamente Forças Armadas, Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), Forças de Segurança (Guarda Nacional Republicana, Polícia de Segurança Pública e Polícia Judiciária), Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (INCF), comunidade intermunicipal, municípios e organizações de produtores florestais.

Fernando Queiroga ouviu as propostas apresentadas e referiu que “tudo o que possa ser feito para tornar o património florestal da região mais resiliente e rentável para as comunidades é bem-vindo”, acrescentando que “a partir de agora haverá um trabalho de maior proximidade entre as várias entidades envolvidas nos projetos e um investimento coordenado entre os seis municípios do Alto Tâmega, para que assim haja uma melhor articulação das ações a realizar na floresta”.

O Plano de Ação referente aos projetos-piloto será apresentado e analisado nos próximos dias pela CIM-AT.

Local

Menu