Estão de regresso os treinos de basquetebol dos escalões de formação

Desporto
Após vários meses de paragem global, devido ao novo confinamento imposto pela pandemia, os treinos dos escalões de formação das modalidades desportivas de médio risco voltaram a ser permitidas. É o caso das equipas de formação de basquetebol do Centro de Treinos Municipal (CTM) de Vila Pouca de Aguiar que, após realizarem os testes para a Covid-19 durante este fim-de-semana, já podem driblar livremente as bolas nos treinos que se aproximam.

Depois do regresso da prática de desportos de baixo risco e da atividade física ao ar livre ou em ginásios e academias até quatro pessoas, em 5 de abril, o Conselho de Ministros decidiu prosseguir a estratégia de reabertura deste setor face à pandemia de Covid-19.

No lote de novidades estão as principais modalidades coletivas, casos do andebol, basquetebol, futebol, futsal, hóquei em patins e voleibol, cujas divisões profissionais prosseguiram durante o segundo confinamento geral, em vigor desde 15 de janeiro.

De referir que, a atividade dos escalões de formação será retomada desde que se cumpra a apresentação de um resultado negativo num teste laboratorial para a Covid-19, realizado até 72 horas antes do início das atividades, por parte de todos os praticantes de escalões de formação de modalidades desportivas de médio e alto risco.

“Durante este fim-de-semana, os nossos atletas realizaram os testes antigénio para a Covid-19. Fizemos mais de 35 testes e todos eles deram resultado negativo, o que significa que estão reunidas todas as condições para voltarmos aos trenos em segurança”, contou Alfredo Brigas, coordenador do CTM de Vila Pouca de Aguiar.

No entanto, à semelhança do desconfinamento que as atividades desportivas cumpriram em setembro de 2020, há regras e restrições que marcam o arranque dos jovens ao universo desportivo no concelho aguiarense.

“Os atletas entram para o recinto de treinos de máscara, mas quando começam o exercício físico retiram-na. Em cada paragem no treino, quando se aproximam mais para ouvirem qualquer explicação por parte do treinador, voltam a utilizar as máscaras. Para essas situações, já estão definidas marcas no chão do recinto, de três em três metros, para se posicionarem e para manterem o distanciamento social”, esclareceu.

As normas da DGS determinam que todos os espaços, materiais e equipamentos utilizados no decorrer da prática de desporto devem ser submetidos a limpeza e desinfeção.

O coordenador do CTM sublinhou que “os jogadores fazem a devida desinfeção de todo o material que utilizam”. “Cada atleta utiliza a sua bola para facilitar a desinfeção no final, que fica à responsabilidade de cada um”, explicou.

Questionado sobre a utilização dos balneários, Alfredo Brigas referiu que “dentro dos balneários só é permito um número reduzido de atletas para evitar aglomerados”.

CTM na fase de apuramento da Skills Challenge

Por enquanto, ainda não há data marcada para o arranque da época desportiva e o respetivo início das competições. “Espera-se que em maio, mediante o estado da situação pandémica, comecem pelo menos as provas de três para três ao ar livre”.

Posto isto, tendo como objetivo a realização de atividades de Basquetebol para os escalões jovens que não colidam com as normas das Autoridades de Saúde, mas que ao mesmo tempo estimulem os jogadores a melhorarem a técnica individual neste tempo de pandemia, a Federação Portuguesa de Basquetebol, em conjunto com as respetivas Associações Distritais/Regionais, decidiu organizar o “SKILLS CHALLENGE” Portugal.

O Skills Challenge é a mais recente atividade para a prática individual do basquetebol nos escalões de formação e pretende promover a modalidade não através do jogo, mas através de um desafio de habilidades que levam os atletas evoluírem a sua técnica individual.

Os atletas treinam as técnicas através de um circuito com objetivos de forma a baterem os próprios recordes individuais, tudo dentro das normas exigidas pelas autoridades de saúde.

“Antes da situação se agravar estávamos na fase de apuramento distrital, para apurarmos a primeira equipa por escalão, para a fase nacional”, contou o coordenador.

Esta atividade é destinada a todos os atletas inscritos nos Clubes entre os escalões Mini-12 e Sub-18, pretendendo oferecer um programa lúdico e enriquecedor para a prática do basquetebol com provas individuais.

Daniela Parente

Local

Menu